Sair do Marrocos e cair em Marbella é, no mínimo, um choque. Ainda mais se seu destino final for Porto Banus, pedacinho do Mediterrâneo cheio de iates, lojas de grife, carrões, baladas exclusivas, piscinas impressionantes, campos de golf e muitos ingleses e russos bebendo até cair. E tem praia também. “A cidade do céu azul”, como a nomeiam nossos amigos que vivem lá, nos recebeu com nuvens e vento. Mas tudo bem: nem por isso aproveitamos menos.

Porto Banus – “bairro” de Marbella – tem urbanização recente, da década de 70. Portanto, muito diferente daquela imagem do Velho Continente que grande parte dos turistas brasileiros costumam vir buscar na Europa. As ruas modernas e amplas e os condomínios enormes lembram mesmo a Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Mas os aluguéis (incrível!) são baratos se comparados aos cariocas. Um quarto e sala amplo, com piso de mármore, piscina e etc custa algo como um aluguel de quarto e sala pequenininho na Tijuca! Nossa hipótese é que com a crise estão alugando por qualquer coisa, ao menos para manter as propriedades que têm manutenção cara.

Apesar de fazer calor o ano inteiro, junho marca o início da temporada de verão, quando mais turistas do norte da Europa chegam para aproveitar o sol e atmosfera de festa (ou para trabalhar nos numerosos bares e restaurantes em busca de salário razoável e boas gorjetas que sustentem suas próprias festas). Nesta época ainda é possível entrar em algumas boates gratuitamente, claro, me refiro àquelas com menos glamour e exigência sobre o público frequentador. Outras podem custar 80, 100, ou sabe-se-lá quantos euros. Não faltam promoters na rua te convencendo a entrar em alguma. Ou “algumas” já que no meio da noite vão todos sair de uma festa (que acaba) e entrar em outra (que começa). O único sentido nesta cultura parece ser mudar a decoração já que preços, DJs e dançarinas são os mesmos.

E a música também vai repetir! (E muitas vezes, repetir os anos 90!) No caso do seu objetivo ser entrar nas melhores festas, vista-se bem. Rapazes: não esqueçam o sapato! Se esta é uma balada fina, é possível que te deixem na porta de tênis. Moças: o vestido deve custar caro.

Depois de meio dia, quando você e a cidade começarem a acordar, aproveite o sol. A caminhada de Porto Banus a Marbella vai tomar uma hora, mas é atividade ideal para ver os condomínios e a cultura de praia. Não há ondas, mas as pedras perto da margem desanimam o mergulho. Aqui há fontes de água potável espalhadas pelo caminho, o que ajuda a tornar o calor em um problema menor.

Marbella é uma cidadezinha bonita. Caminhando você pode ver o Jardim das Esculturas, com dez obras de Salvador Dalí perfiladas, a simpática Plaza de los Naranjos e, logo adiante, uma igrejinha do século XVI: alguma coisa tinha que estar há séculos por lá, claro. Para passeios “alto nível”, esqueça este post, aumente seu limite de gastos, alugue um iate e escolha entre uma Ferrari ou um Porsche conversível de sua preferência.

Ah, sim: Marbella foi a cidade da sorte! Tiramos essa foto aí e ganhei um voucher da Ryanair – mas ainda estou esperando o prêmio! :)

A foto premiada!

 

2 thoughts on “Para iates, baladas e carros de luxo; ver Marbella

  1. Livia adorei seu post! Curto viajar por cidades pequenas, bater perna sem rumo, ver a rotina das pessoas…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *