Diz a wikipedia que ‘bálcãs’ significa ‘montanhas’. Entramos na península balcânica justamente pela Eslovênia, um país tão orgulhoso das suas, que estampa a mais alta na bandeira. Não chegamos ao topo do Triglav desta vez, mas alcançamos algo mais: novos amigos, a descoberta de paisagens que não frequentavam nossa imaginação e o primeiro passo no que antes o mundo conheceu como Iugoslávia.

Ljubljana: como se tivesse sido construído ontem

Ljubljana é uma capital inesperada: pequenina, limpíssima, ao mesmo tempo vibrante e tranquila num verão de bares cheios de gente em torno do rio Ljubljanica. A confusão comum a qualquer “maior cidade do país” não acontece aqui. O castelo no topo do morro é dominante na paisagem, e com poucas horas se percorre as ruas de interesse no Centro – incluindo outras não apresentadas em guias. É realmente uma “cidadezinha” – no melhor sentido do termo.

Diferente das outras capitais da antiga Iugoslávia que visitamos – Zagreb (Croácia), Belgrado (Sérvia) e Sarajevo (Bósnia e Herzegovina) – não há muitos sinais daqueles tempos pelas ruas de Ljubljana, ainda mais para quem circula na parte histórica. A língua de que tanto se orgulham é um ponto de divergência com relação aos outros países que faziam parte daquele bloco entre 1918 e 1992.

Ljubljana: Ponte do Dragão

O esloveno é o modo de expressão dos apenas 2 milhões de habitantes do país que eles mesmos repetem sempre ser “tão” pequeno: aí a explicação para, apesar do evidente orgulho, nunca termos encontrado alguém com disposição para nos ensinar uma palavra que fosse. Diziam ser uma língua que, para um viajante de passagem, “não vale à pena aprender”.

A Eslovênia é um país muito pouco religioso e nossa impressão é de que esta não é apenas uma herança do tempo do comunismo: difícil passar por uma cidade sem que uma igreja, templo ou mesquita esteja entre as atrações principais. Apesar de haver igrejas bonitas, definitivamente este não é o caso da capital da Eslovênia.

O país sempre foi o mais rico da Iuguslávia e, com as diferenças culturais, saiu primeiro e (praticamente) em paz. Hoje parecem mais preocupados em exaltar seus poetas do que suas glórias militares. Começam pelo destaque da estátua de France Prešeren, importante poeta que cristalizou o esloveno em papel e tinta. Era nosso ponto de encontro favorito.

Passamos dias agradáveis em Ivančna Gorica, a 32 km da capital, onde o casal que nos recebeu vive. Lá começamos a disfrutar de um verão verde e da hospitalidade local. As áreas de planície estão floridas ou cheias de trigo e de gente também: visão tão rara no Brasil das propriedades gigantes. O cenário era bucólico e, os campos, ideais para passear com o cachorro gigante com quem também dividimos a casa. Lana e Gorazd nos apresentaram a um casal de amigos e aos seus vizinhos, sempre muito simpáticos e curiosos sobre brasileiros e o Brasil. Não podemos medir o quanto rimos de perguntas como: “Por que vocês têm dentes tão brancos?” ou “Que animal se pode caçar no Brasil?”. Para entusiastas em busca de ursos foi frustrante saber das restrições à caça no paraíso tropical. Nosso país pareceu instantaneamente tão exótico quanto sem graça, estava na cara.

Enrico e Rigby: quem leva quem?

A paz entre lagos e montanhas – Bled e Bohinj são destinos imperdíveis e não importa se você é do tipo que gosta de caminhadas na floresta, subir montanhas, andar de bicicleta, remar e/ou simplesmente aproveitar a brisa e comer uma torta de creme à beira do lago. Na nossa seleção de viagem, está entre os lugares mais românticos (até aqui).

Bled: caminhadas inesquecíveis

Bled: o lago e o famoso castelo

Bohinj: canoa ou caiaque? Escolha seu veículo!

Nunca será demais dizer que faz sentido voltar e a desculpa perfeita é subir o Triglav. Quem sabe, em um dia sem chuva, nossos amigos eslovenos não nos levam ao topo do seu mundo?

 

2 thoughts on “Eslovênia para sonhos com montanhas

  1. MUITO BACANA PODER PASSEAR, SIMPLESMENTE APROVEITANDO UMA BRISA NA BEIRA DE UM LAGO DESLUMBRANTE. CERTAS COISAS PEQUENINAS PARECEM GRANDE DIANTE DISSO TUDO. CONTINUEM APROVEITANDO…HA…UMA COISA LAIS DISSE QUE A CHINA NÃO SERÁ A MESMA DEPOIS DE VER SEUS CABELOS..TA CHEGANDO O DIA…BJOS.KKKK

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *