O passaporte brasileiro abre muitas portas mundo afora, sem grandes complicações e, diferente do que muitos imaginam, isso se aplica também à República Islâmica do Irã. Apesar do processo ser um pouco mais complicado do que simplesmente chegar à fronteira querendo entrar, assim como fazemos na maioria dos países europeus, por exemplo, as exigências são poucas para conseguir o visto no Brasil, e algumas vezes até menores no caso de retirada em outros países.

O normal é que  o visto iraniano tenha validade de 3 meses a partir da data que foi emitido. Como não chegaríamos à fronteira antes disso e o processo para ter uma data de entrada mais distante é mais caro e complicado, resolvemos tirar o visto fora do Brasil. Sendo assim, estudamos as diversas formas para conseguir a autorização e listamos abaixo os prós e contras de cada uma delas.

1) Visa On Arrival – O visto na chegada

É o visto na chegada a um dos aeroportos internacionais no Irã (Mehrabad, Teerã, Kish, Qeshm, Boushehr, Shiraz, Tabriz, Mashhad, Esfahan, Asalouyeh e Chahbahar). Nessa modalidade, o cidadão desembarca, declara que necessita do visto e segue os procedimentos recomendados. Algumas condições precisam ser atendidas, tais como:

1. possuir uma reserva de hotel pelo menos para o primeiro dia e apresentar o telefone do lugar, OU o contato de quem irá recebê-lo. (ATENÇÃO: eles realmente ligam! É boa ideia pedir mais de um número de contato, talvez um celular, para evitar problemas!)
2. possuir uma passagem de saída do país. Já li relatos de pessoas que não possuíam passagem comprada, mas que tinham planos concretos e provas, como um visto para a Armênia (que faz fronteira ao Noroeste) e o plano de rota a partir de qual cidade pegaria um ônibus para lá.
3. Caso pretenda usar Couchsurfing ou ficar na casa de algum amigo, é uma boa ideia pedir uma carta de convite com informações simples como nome, endereço, contato, etc. Ao que tudo indica, esse item não é obrigatório, bastando ter os contatos da pessoa e o oficial na hora ser capaz de confirmar através de uma ligação. Mas é rápido conseguir a carta e não custa nada…
4. não ser de um dos países abaixo:

Colômbia / Somália / USA / UK / Canada / Bangladesh / Jordânia / Iraque / Afeganistão / Paquistão / Índia

Na verdade, para cidadãos de Estados Unidos, Reino Unido e Canadá as opções ficam mais limitadas ainda: é necessário contratar uma agência de viagens e um pacote turístico pré-determinado… Os Israelenses poderiam entrar nessa lista de proibidos também, mas no caso deles não tem visto na chegada ou qualquer outro: israelense é persona non grata mesmo.

5. Por último, para o visto na chegada você não pode ser jornalista, não pode já ter um visto recusado anteriormente ou portar um passaporte diplomático.

Painel na ex-embaixada dos EUA, Teerã: americanos e israelenses já preveem o amor com que seus pedidos de visto serão tratados

O valor do visto vai depender da nacionalidade, mas para brasileiros gira em torno de 35 EUR (outras nacionalidades podem ser consultadas aqui). Além disso, é de suma importância saber que esse tipo de visto vale apenas por 15 dias! É possível requisitar uma extensão do visto em diversas cidades, porém demandará algum tempo para lidar com a papelada durante sua viagem. Alguns guias e pessoas relatam que Shiraz é o melhor local para isso há relatos sobre extensões que ficaram prontas no mesmo dia e outros sobre esperas de 4 ou 5 dias…

Atualização de 01/02/2017:

O Ministério de Relações Exteriores do Irã resolveu esticar os 15 dias do visto on arrival para 30 dias! Isso facilita bastante a vida do viajante, evitando fazer toda a papelada descrita nos itens abaixo!

2) Visto retirado no Brasil

Para tirar o visto no Brasil você poderá consultar a embaixada do Irã em Brasília (o pessoal é muito atencioso, sério!) e confirmar os documentos necessários. Nossa experiência com vistos está mostrando que os procedimentos podem mudar… Para ter mais detalhes sobre o processo, veja esse post explicadinho do Gabriel aqui. No meu contato com o consulado eles responderam apontando para um endereço do Blogspot que tinha os documentos listados e o formulário para download, vai entender… 😀

Conforme comentamos, resolvemos tirar o visto em outro lugar porque entraríamos do Irã mais de 3 meses depois da emissão no visto. No entanto, nos informaram na Embaixada do Irã no Brasil que é possível abrir exceção caso você pague mais caro e escreva uma carta com a justificativa para o cônsul. Se for seu caso, recomendamos um contato para mais detalhes com o simpático funcionário nordestino da Embaixada em Brasília (o sotaque é a coisa mais inesperada!).

3) Visto fora do Brasil – Direto em qualquer embaixada

Com exceção do visto japonês, brasileiros conseguem autorização para entrar em qualquer país a partir de embaixadas ou consulados do país que querem visitar em outros países. Dessa forma, basta procurar a do Irã onde estiver, verificar a documentação necessária (supostamente não deveria, mas já vimos que pode mudar ligeiramente de um lugar para outro) e aplicar. Este tipo de visto tem validade de 3 meses (precisa entrar no país até 3 meses depois da emissão) e te permite ficar 30 dias no Irã, podendo ser extendido. Para mais detalhes sobre a documentação, veja o item 4.

Esse formato tem gerado discussões pelos fóruns de viagem, principalmente em relação ao tempo de processamento. As embaixadas coletam seus documentos e enviam ao Ministério de Relações Exteriores do Irã que terá a gloriosa missão de avaliá-los e aprová-los, emitindo um tal de “Authorization Code“. Trata-se de um registro que é consultado online pelas embaixadas, informando se podem proceder com a emissão do visto àquele cidadão ou se devem mandá-lo para casa.

Nesse formato de visto, já vi pessoas relatando ter de esperar até 1 mês para efetivamente sair com o passaporte carimbado da embaixada. Há também casos de embaixadas que informaram às pessoas que não poderiam aplicar diretamente, dependendo da intermediação de uma agência de viagens junto ao Ministério, mas volto a falar disso em seguida…

O visto fora do Brasil custa 30 EUR para brasileiros, pagáveis em alguma agência bancária próxima da embaixada em questão.

Uma saída que parece boa para esta modalidade é tentar tirar o visto em Trabzon, na Turquia. Por algum motivo “misterioso”, parece que eles tem um método expresso por baixo dos panos que faz com que o visto saia em 1 dia apenas.

Conheci um rapaz que conseguiu fazer isso e outro para quem a embaixada disse que não tinha como. Este cidadão teve que voltar lá do Nordeste da Turquia para Ankara e pedir o visto por lá… ou seja: ser negado é um risco que se corre.

Atualização 31/08/15:

O viajante Leonardo Joucowski do Better Way BR foi recentemente à embaixada em Ankara e autorizaram o pagamento no banco com dólares, euros ou liras turcas. Também adiantaram que sem o código de autorização (a ser debulhado mais abaixo) poderia ter demorado de 1 a 2 semanas. Outra informação interessante foi que não exigiram a foto de sua esposa com véu.

Outro viajante amigo, foi a Trabzon e conseguiu o visto no mesmo dia, como haviam dito ser possível.

4) Visto fora do Brasil – com uma agência de turismo, sendo coletado na embaixada de sua escolha

Calma, nesse caso pedir o visto com uma agência de turismo não significa ter um guia ao seu lado o tempo todo e muito menos participar de um pacote de viagem em um ônibus lotado! As agências nesse caso recebem a documentação para o visto e fazem o meio de campo com o Ministério de Relações Exteriores do Irã. Nos formulários, você preenche todas aquelas informações pessoais de sempre e, mais importante de tudo, informa em qual embaixada gostaria de recolher o visto. Esse visto tem validade também de 3 meses e te permite ficar dentro do Irã por até 30 dias, sendo possível a extensão.

Nesse modelo você não precisa ficar preso a uma cidade e seus arredores esperando pelo visto por um longo tempo. As agências pedem até 10 dias úteis para o processamento, portanto, pedindo com um par de semanas antes de chegar ao local de coleta do visto, já será suficiente.
No nosso caso, pedimos quando estávamos em Atenas, ainda íamos às ilhas gregas e depois à Istambul antes de chegar a Ankara, nosso local selecionado na Turquia. Por fim saiu muito mais rápido que o imaginado.

Nas pesquisas pelos fóruns de viajantes na internet encontrei informações sobre as três empresas abaixo:

O mais comum é o cidadão cair na página deles e achar que é algo oficial (apesar do design tosco da página). A Iranian Visa tem inúmeros casos de sucesso e elogios, quase tão numerosos quanto os casos de desastre e reclamações. Apesar de parecer que em geral funciona, muitas críticas de que a empresa não entra em contato, não te mantém atualizado, etc. me desanimaram apesar do preço mais em conta.

Tenho apenas uma referência da empresa, através de um amigo, que enviou tudo, não teve resposta e teve que começar a caçar a empresa pois não entravam em contato, não confirmavam recebimento… A facilidade é que eles aceitam fazer o processo e você paga pessoalmente quando chegar ao Irã. Em Teerã conhecemo um agente que fazia isso e já estava calejado de tanto caçar turista que não pagava e se hospedava em algum hotel em que ele tinha conhecidos.

A Touran foi a escolhida pelo histórico de sucesso, e não decepcionou. Foi muito rápida e manteve contato, mostrando que o processo estava rodando. Preenchemos as informações no site deles numa quinta-feira e recebemos um e-mail automático em poucos minutos informando que novo contato deveria ser feito em até 12h, caso contrário para procurá-los.

O único detalhe a ser notado no formulário deles é o “Itinerário planejado”. O ideal é colocar uma rota factível para ilustrar suas intenções no Irã. Essa pode ser no formato: 1 dia – Cidade X, passeio Y. Dias 2,3,4 – Viagem para cidade Z. Passeios 1,2,3… e assim vai ! Nada muito detalhado.

Assim foi: na sexta de manhã enviaram um e-mail informando que tudo estava OK; avisando que quinta e sexta-feira é o final de semana no Irã, portanto o Ministério não estaria aberto para começar a trabalhar; e anexado veio um PDF com tudo explicadinho para fazer o pagamento. O Irã sofre embargos econômicos e sua rede bancária não está conectada com a rede internacional. Por isso, o pagamento é feito através de uma conta na Suíça, com vários truques para realizar a transação sem que o dinheiro seja bloqueado. Apesar de só termos conseguido transferir o dinheiro na quarta-feira de tarde da semana seguinte ao pedido, na mesma quarta pela manhã recebi um e-mail deles com o código de autorização e pedindo pra enviar o comprovante de depósito assim que o tivéssemos.

Trabalharam sem ter recebido e dos 10 dias úteis que prometem gastar, foram usados apenas quatro (nada mal!) O preço, no entanto, é salgado: o PDF detalha os valores, mas para retirar na Turquia, por exemplo, se gasta 50 EUR da agência + 30 EUR na embaixada.

[Informação importante fora do tópico: precisamos pedir a uma amiga que fizesse para nós a transferência porque nosso banco (o Santander) não aceita transferência de valores para fora do país se você não for pessoalmente na agência assinar um documento autorizando a transação. Uma procuração para que um terceiro faça isso por você só é válida se nela estiver escrito explicitamente (com todas as letras) que a pessoa tem direito de mandar valores para fora do país. Não existe mais procuração “de plenos poderes” segundo nos informaram no cartório e nossa procuração tem mil detalhes de poderes, mas sobre esse não pensamos e não fomos informados… Portanto, se você for fazer uma viagem longa, confira minuciosamente este detalhe com seu gerente já que procedimentos semelhantes podem se aplicar a outros bancos.]

De posse do código, fomos à embaixada em Ankara e lá tivemos que apresentar:

  1. Duas fotos 3×4 (na embaixada tem vários cartazes com tamanhos escritos em farsi, ilustrando o tamanho exato, porém eu entreguei 3×4 e Lívia umas 5×7 e eles confirmaram que não fazia diferença…);
  2. Duas fotocópias do passaporte;
  3. Recibo do pagamento da taxa referente ao seu país (na primeira visita à embaixada deram um papelzinho que levado a um banco na mesma rua, nos permitiu pagar a taxa);
  4. Formulário de solicitação de visto que eles te entregam na embaixada preenchido.

Esse último item tem alguns detalhes a serem observados pois podem te gerar problemas. Abaixo comento esses pontos no formulário distribuído em Ankara, Turquia. Em outros locais pode ser um pouquinho diferente (além das palavras em turco, claro) portanto tente entrar no site da embaixada em questão e verificar se tem o formulário para download, chegando preparado.

Preencha tudo do lado esquerdo e o pessoal da embaixada vai traduzir pra farsi, se eles conseguirem…
  • Type And Number Of Passport

O tipo do passaporte – nunca prestamos atenção antes, mas está impresso lá na página de informações.

  • Passport Expires On

A informação em si é simples, está escrita no passaporte. Mas é importante saber que praticamente ninguém emite visto se o seu passaporte não tiver 6 meses ainda de validade a partir da data em que está aplicando para o visto.

  • Marital Status

Pergunta capciosa. Alguns hotéis exigem documento comprovando se você é casado pra poder reservar um quarto privado caso você esteja viajando com sua/seu companheira/o. Na dúvida se a embaixada ia pedir algo também, colocamos como solteiros. A informação não consta no impressa no visto, mas ficamos sabendo que existe um sistema que os hotéis podem consultar, contendo essas informações. Na prática, não nos perguntaram sobre estado civil nos hotéis por onde passamos (mas respondemos isso pra milhares de curiosos pelas ruas!).

  • Occupation

Antes de viajar saímos dos nossos empregos, mas na dúvida se iam encrencar com alguém que não tem para onde voltar, colocamos as informações do último emprego nesse campo e no próximo. Não verificaram…

  • Employer s Name

Vide acima.

  • Address / Tel In IRAN

Aqui é importante colocar um contato, seja de uma pessoa que está te convidando ou de algum hotel/guest house, etc… A resposta na embaixada quando perguntamos se era realmente necessário, já que não tínhamos reservado ainda, foi: “pode colocar qualquer coisa, um contato de hotel por exemplo…”. Assim fizemos, sabemos que não ligaram porque depois de sair da embaixada descobrimos que o número não funcionava, mas passou. No entanto, recomendo que você reserve uma noite que seja e coloque o contato. Se verificarem vão ver que tem algo lá e pronto.

  • Which Countries Have Already Visited?

Omitir Israel, EUA e Reino Unido pode ser uma boa ideia…

  • Type Of Visa Required

Depende do que você vai fazer por lá, mas o mais comum é “Tourist”, e seguir em frente.

  • The purpose Of journey

Turismo, né!? (Ou você pretende entrar para o mercado de tapetes persas?!)

  • How Long Do You Intend To Stay In The I. R. of IRAN ?

Coloca logo os 30 dias antes que pensem em dar menos…

  • Place / Border Of Entry And Exit

O Irã tem várias fronteiras terrestres, além das entradas via aeroporto. Basta dizer o modo e a cidade.

  • Approximate Date Of Arrival In The I. R. of IRAN

Uma estimativa, esta informação não muda o processo.

  • Name Of Individuals And / Or Organizations

Deixamos em branco, autorizados pelo rapaz da embaixada, já que não se aplicava.

  • Who Covers Your Expenses While Staying In IRAN

Colocar “Myself” é sempre uma boa ideia.

  • How Much Money Do You Intend To Have With You?

Colocamos uma média de 30 EUR por dia e fizemos as contas. É muito mais do que o necessário para uma viagem como a nossa, mas é melhor jogar pro alto do que dizer que vai entrar com quase nada (ou realmente entrar quase sem dinheiro e correr o risco dele acabar e não ter como sair porque seu banco não funciona).

  • Has Your Visa Application Ever Been Rejected? If Yes When?

Dizem que não faz diferença se você já foi rejeitado, e que eles tem o histórico de todo mundo, portanto não adiantaria mentir. Conversei com pessoas que tiveram o visto rejeitado, preencheram esse campo dizendo que sim, e conseguiram o visto.

  • If You Are Passin Iran In Transit: Have You Obtained Appropriate Visa For Your Next Country Of Stay?

Dizer para onde e de preferência ter em mãos uma xerox do protocolo ou do visto. Não me informaram se isso realmente seria necessário, mas na dúvida…

  • Please Write The Name And Relationship Of Persons Travelling With You.

Aqui tem que colocar todos que vão junto. Colocamos “fiancee” e ninguém pediu absolutamente nenhum comprovante, nem na hora, nem dentro do Irã depois…

No caso da embaixada em Ankara, o serviço consular estava aberto diariamente pela manhã e na sexta-feira manhã e tarde. Nós entregamos os documentos na sexta e o visto ficou pronto na terça-feira.

A retirada do visto foi bastante tensa: o rapaz pediu que esperássemos 30 min, esperamos mais de 3 horas (!!!). A sala estava cheia de iranianos fazendo algazarra e nós, sob os olhares atentos dos aiatolás onipresentes nas fotos de cada parede. Neste tempo, pensamos nervosamente sobre cada detalhe que poderíamos ter feito diferente, a começar pelo hotel com telefone que não funcionava. Fritamos nossos cérebros imaginando se eles realizaram uma pesquisinha no Facebook… Afinal, a jornalista achou por bem não declarar a profissão (por motivos óbvios, e) por não estar viajando a trabalho… Mas, vai que eles descobriram e acham que era uma viagem profissional!? Bom, por fim, tudo certo! Estavam só, super atarefados. Devolvidos os documentos, sorrisos dos funcionários tão educados, e boa viagem!

Pelos caminhos do Irã

20 thoughts on “O visto pra República Islâmica do Irã

  1. Olá ,em primeiro lugar,meus parabéns pelo blog de vocês. Realmente muito rico em detalhes e gostoso de ler. Porém,preciso de tirar uma dúvida. Sobre esse visto na chegada no Irã,ele é bem comum ou acaba sendo uma exceção?Vi que vocês acabaram tirando na Turquia,foi porque queria ficar mais de 15 dias?Estou no Mianamar e com passagem pro Irã dia 06/07 e não tenho o visto. Aqui não tem embaixada iraniana. Tenho tudo certo. Hospedagem,passagem de saída…a embaixada no Brasil disse pra eu contratar um despachante. Será que é realmente necessário?obrigado.

    1. Oi Rodrigo, tudo certo? Obrigado por acompanhar o blog, vamos tentar postar em breve várias informações que estão pendentes, inclusive do Irã e Myanmar (passamos um mês inteiro em cada)! Se quiser conversar e pegar umas dicas mais rápidas manda uma mensagem pra gente pelo Facebook e conversamos 😀 Respondendo sua dúvida, o visto on arrival não é uma exceção. Conhecemos várias pessoas que conseguiram sem problema algum. Basta chegar com a documentação certinha e principalmente o contato no hotel ou casa onde irá ficar, pois eles podem ligar pra confirmar. É apenas procedimento, não se preocupe, eles são super simpáticos e a menos que você tenha um carimbo de Israel no passaporte vai ser tranquilo. Depois me conta como foi e atualizo no post pra contar como experiência. Grande abraço!!

  2. Oi Enrico.
    Li a mensagem a cima e tenho praticamente as mesmas dúvidas. Estamos na Turquia e voamos para Teerã, além da reserva do hotel com telefone temos que levar mais alguma coisa para retirar o visto on arrivel? Cópia de documentos, fotos, etc? Teria o contato de algum hotel para nos indicar? Sabe como funciona a questão de pessoas não casadas no país? Li em alguns sites que namorados não poderiam dormir no mesmo quarto. Você sabe se esta informação procede?

    Obrigada.

    1. Oi Luana,

      já foram?! Desculpa a demora! No artigo diz o que normalmente pedem para ter na chegada, melhor não fugir muito disso pra não ter problemas. Não sei hotel pois fiquei em Couchsurfing e depois num hostel bem baratinho, mas no artigo do Gabriel que eu linkei tem dicas de hotéis bons. Em relação a não serem casados não se preocupem. Não tivemos quaisquer problemas, mas sempre falamos que éramos casados. Ninguém pede comprovação pros turistas, é tranquilo.
      Abraço e aproveitem bastante o Irã! 😀

  3. Olá Enrico

    li sua matéria do iran, bem interessante, mas sou casada com iraniano, e queremos ir para o iran, o que preciso, tenho que tirar o visto mesmo assim, ainda nao comprei as passagens, mas queremos ir em fevereiro. Aguardo reposta, obrigada!

    1. Oi Débora!!

      Recomendo que você entre em contato com o consulado pois pelo que andei lendo o Irã não reconhece dupla cidadania, e por ter casado com um iraniano você teria adquirido automaticamente a cidadania iraniana, sendo tratada como tal no país. Dessa forma, vc provavelmente precisará emitir um documento específico, e não utilizar o passaporte brasileiro na entrada e saída do país.

      Um abraço e depois me conta o resultado? Seria ótimo pra atualizar aqui no post!

  4. Oi Enrico! Valeu pelas dicas!! Muito bom seu blog… Eu tenho de ir ao Irã no próximo mês e ouvi de um colega Japonês que se ele pedir o visto iraniano teria problemas no futuro pra ir a Israel ou aos EUA. Vc sabe algo a respeito? Sabe se nós brasileiros teríamos os mesmos problemas?
    Ah! Vou aplicar da Alemanha, onde moro.
    Valeu!
    Fellipe

    1. Oi Fellipe!

      Obrigado pelos elogios! Tenho amigos que foram ao Irã e posteriormente aos EUA e a Israel. Eu pessoalmente fui aos EUA depois e não me perguntaram absolutamente nada. Pela internet não se encontram muitos relatos de problemas referentes a isso. Já em Israel a imigração é sim complicada, e um carimbo do Irã vai te consumir certamente mais tempo pra passar. Tenho um amigo que demorou mais de 3h na entrada e na saída, sendo questionado não só por isso, mas por todo histórico da vida.
      Uma coisa certa e o inverso. Se você possuir um carimbo de Israel, não consegue visto pro Irã e se já tiver, não vai entrar quando chegar na imigração iraniana. Nos aeroportos de Israel existe a prática de entregar o carimbo em um cartão separado, mas por terra isso ainda está meio obscuro.

      Acho que é isso, qualquer coisa a mais, pode falar 😀 Abraço e boa viagem!!

      1. Sim, é um excelente panorama. principalmente para mim que estou numa volta ao mundo e estava precisamente a pensar em ir aos dois países de seguida e pela pior ordem, Israel-Irão. Quer dizer que posso mesmo desistir da ideia. tenho de escolher um dos dois, certo? consegue-me explicar melhor isso de ter o visto num cartao à parte? Obrigado :)

        1. Oi Enes!

          Não tenho tido notícias recentes de como está o carimbo nas fronteiras terrestres, mas até onde conversei com pessoas que foram, era bem instável. Ora, carimbavam um papel separado caso pedisse, ora não… Nas fronteiras aéreas parece que era padrão já que o carimbo ia num documento separado, ou seja, não “estragava” seu passaporte. Em todos sites do Irã, nas agências de visto e no consulado, existia claramente a regra de que se possuir um carimbo de lá, é declinado seu visto. Pode ser que dê sorte, mas as chances são pequenas… Se você tem dupla cidadania, pode usar os dois passaportes pra carimbos nos dois países. Se não tem acho que você deveria priorizar. Se tem mais interesse por Israel, vai lá e arrisca conseguir o do Irã sem ser na fronteira. Se negarem pelo menos vc não perde viagem. Agora se privilegia Irã, muda essa rota aí pra não correr o risco :)
          Grande abraço!

  5. Oi Enrico!
    Obrigada pelas informações aqui! (:
    Estou pensando em ir do Camboja para a Espanha em um vôo que tem escala no Irão. A companhia diz que pararei ali por 6h e tenho que fazer um novo check in da minha bagagem.
    Você sabe que terei que pedir visto para isso?
    Me preocupo por dizerem que tenho que recolher a bagagem e fazer check in.
    Vocês já passaram por situação parecida em algum vôo?

    1. Oi Caroline!

      A princípio minha resposta seria de que você precisaria pegar um visto de trânsito, não o pra entrar no país, porque se tem que fazer checkin de bagagem seria obrigatório. No entanto, achei esse post aqui onde eles contam que ficaram numa desconfortável sala de embarque, e um oficial foi lá resolver o problemas das bagagens e boarding passes.
      Não me parece uma solução muito agradável pelo que descreveram, e nem muito oficial que tudo se resolverá assim. Se não for uma diferença de preço muito significativa não te recomendaria fazer esse trajeto. Ou então pegar o visto de verdade e conhecer o Irã :)
      Boa sorte e obrigado por comentar aqui 😀

  6. Enrico

    estou na duvida, preciso tirar o visto para o Ira no aeroporto de Teera ?/

    Obrigado

    Helio

    1. Oi Helio!

      Você não precisa tirar o visto no aeroporto, pode fazê-lo antes em qualquer embaixada iraniana, seja no Brasil ou em outro país. A única coisa certa é que sim, você precisará de um visto. Se tiver tempo, recomendo fazer antes pra já partir pra lá com tudo certinho e perder menos tempo.
      Caso não seja possível, pode ficar tranquilo pois apesar de todo mistério envolvendo aquele país, eles são super receptivos e te fazem o visto na chegada.
      Um abraço e boa viagem!

    1. Oi Bruna!!

      Pelo que estou vendo aqui, parece que mudaram mesmo a política de visto on arrival de 15 para 30 dias, incluindo o Brasil na jogada! Olha esse link aqui!

      Abraço e boas viagens!! 😀

    1. Oi Luciana :) Difícil não é, basta seguir um dos passos descritos aqui no artigo, você escolhe o que for mais cômodo pra ti e corre atrás. Eu considero difícil aqueles que são regularmente recusados, como Arábia Saudita por exemplo, que não é o caso do Irã.

      Um abraço e boas viagens!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *