Belgrado foi nossa única parada na Sérvia. Parecia incompleto viajar para a região da ex-Iugoslávia, onde nacionalismos ainda são tão latentes, e não passar, ao menos pela antiga capital. A cidade soa ressentida com o presente, a economia em recessão deve explicar uma parte deste sentimento. E não é das mais turísticas. Conhecemos muita gente que gostou de visitá-la, mas francamente não entrou na nossa lista de preferidas. De todo modo, se você quer fazer o mais recomendado – ver por seus próprios olhos -, anote aqui algumas dicas. Garantimos que são úteis!

Sava e Danúbio se encontram na capital da Sérvia

Houve mudanças recentes e não é mais necessário que brasileiros providenciem visto para entrar na Sérvia. Mas ao sair descobrimos (porque fomos cobrados na fronteira, contamos ao final…) que a Sérvia mantém em voga a obrigatoriedade do registro de turistas na polícia. Tão dos tempos da espionagem…rs Então, se você vai passar mais de 24 horas no país, certifique-se de que seu hotel fez um registro da sua presença e exija um comprovante. No caso de ficar na casa de alguém você deve ir à polícia pessoalmente. Mais informações podem ser acessadas aqui. Uma jornalista da Bósnia que cruzou conosco a fronteira disse que faz o percurso há mais de 15 anos frequentemente e nunca havia sido cobrada a este respeito. No entanto, naquela noite ela também foi…

A moeda local é o Dinar, em julho de 2014, 120 dinares equivaliam a 1€. Aqui anotamos a maior parte dos valores em euro para facilitar comparações com outras partes da Europa.

Não se esqueça de que eles usam alfabeto cirílico (semelhante ao utilizado na Rússia) para escrever em sérvio. Prepare-se para placas apenas em cirílico carregando um guia para substituir as letras e ser capaz de ler o nome das ruas. (Mas fique tranquilo que só vimos algarismos arábicos!)

TRANSPORTE INTERNACIONAL

Chegamos à Sérvia em um trem vindo de Budapeste, Hungria.

Viagens de trem pela Sérvia não são tão populares quanto em outras partes da Europa, há poucos horários e conexões. Além disso, os preços não são tão atraentes. No caso da conexão com a Bósnia há apenas um trem matinal de Belgrado para Sarajevo. Ônibus é o mais comum nas últimas décadas, assim como vans de agências privadas.

Nosso objetivo era chegar a Sarajevo, na Bósnia. Neste site há mais informações sobre ônibus, e a rodoviária está ao lado da estação central de trens. Mas os preços não eram mesmo vantajosos: com 2€ a mais teríamos outras opções de porta a porta. (Se você for à Sarajevo, saiba que há mais de uma estação de ônibus, uma para Sarajevo/Bósnia, outra para Sarajevo/Republika Srpska.)

A empresa que contratamos não conhecia o hostel, se enrolaram com o endereço e se atrasaram mais de uma hora. Apesar de tudo isso… deixamos os contatos desejando mais sorte no seu dia e informando que há diversas saídas diárias (25€ em julho/2014): Gea Tours Belgrade, +381 11 / 2686-635, 2686-622 / 2643-840, 2685-043 / 2643-962, 3615-546, gea@eunet.rs, Skype: geatoursbg .

HOSPEDAGEM

Ficamos em dois hostels, mas o que recomendamos é o Beograska, muito central, novo e organizado. A dona é bastante simpática e fala bem inglês (diferente do funcionário da noite). Assim como em qualquer lugar da Sérvia (e nos bálcans, para ser franca) todos fumam muito, muito mesmo, inclusive em lugares fechados. No entanto, neste hostel está proibido fumar dentro dos quartos e na sala eles mantinham a porta aberta, o que é um alívio para não fumantes.

ATRAÇÕES

– Como deixamos claro desde o princípio, talvez não tenhamos encontrado o charme escondido desta cidade. Mas entre as melhores lembranças está o parque Kalemegdan, onde se localiza o forte da cidade com vista para o encontro dos rios Sava e Danúbio. O parque é muito agradável e fica cheio de grupos de amigos e namoradinhos ao anoitecer. Aliás, achei a vista mais bonita com os reflexos iluminados à noite. Está lá o “Victor”, uma estátua grande em homenagem aos heróis da pátria, que é símbolo da cidade.

– Knez Mihailova é uma rua em zona de pedestres, cheia de bares e cafés. Gostamos muito de passar umas horas por lá com uma amiga que recebemos no Brasil com Couchsurfing :)

– Skadarlija é o nome do famoso quarteirão boêmio da cidade, que aliás já foi mencionada pelo famoso guia Lonely Planet como “o” destino baladeiro a ser percorrido no mundo”. Mas os leitores já devem ter percebido que não é o nosso caso… Passamos por lá pela manhã, mas tomamos um gole “rakia” caseira, como é de praxe! A rakia é um licor feito de ameixas que as pessoas costumam produzir em casa mesmo, vão te oferecer em todos os lugares se você passar pelos bálcans.

– Por falar em rios e bares, a cidade é famosa pela união das duas coisas: “boat parties” são um must see dos baladeiros em Belgrado.

Luzes se acendem sem fio no Museu do Tesla

– Ainda estávamos na época de embarcar sempre no Free walking tours (tour guiado à pé de graça) mais bem cotado da cidade. Mas neste caso não gostamos…, as informações eram a narração da Wikipedia. Quem sabe você dá sorte com outro guia (não lembro de ver o nome da nossa citado nos comentários do Trip Advisor), e afinal esta é uma avaliação muito pessoal. O ponto de encontro é a Praça da República, atrás do monumento. Os guias usam um crachá amarelo.

– Na esperança de repetir o bom tour à história do comunismo de Budapeste, entramos em outra furada (que custou 10 euros porque este não era gratuito!). Desejamos melhor sorte com outro guia, já que pelo menos estava bem recomendado na internet. A melhor parte deste tour, na verdade, foi a visita ao Mausoléu do Tito, com alguma informação sobre sua biografia. Às terças, quintas e domingos, 15h, 10 Euros incluindo entradas de museus e o ônibus. O ponto de encontro é a Praça da República, atrás do monumento. Os guias usam um crachá amarelo. Trata-se da mesma empresa do Free Walking Tour mencionado acima.

– A Sérvia fabricou uma quantidade enorme de história a ser contada. Mas a recente ainda está mais em livros do que disposta em museus. Assim, resta visitar o Mausoléu do Tito, localizado em sua residência preferida, a Casa das Flores, na periferia da capital: e afinal, não há por aí tantos ditadores livremente admirados! O cara era um estadista e um viajante, e fica no mausoléu sua coleção de souvenirs, presentes e roupas de todo o mundo. Há também a incrível listagem dos países que mandaram estadistas a seu funeral – apenas Mandela teve mais presenças oficiais. Verifique no site os detalhes de como chegar. Se você participar do tour ao comunismo mencionado acima você vai ao Mausoléu com o guia.

– Conforme comentamos eu outro lugar, para construir um país é preciso construir seus heróis. Um dos heróis que a Sérvia tenta construir, apesar de ter nascido em outro lado, é Nikola Tesla, um engenheiro elétrico que (quase) ganhou o Nobel. O museu do Nikola Tesla e seus inventos é o mais recomendado na cidade. É de mais interesse para quem gosta de eletromagnetismo e temas correlatos, certamente, e para crianças que vão se animar ao ver as antigas máquinas gerarem raios verdes de eletricidade. Ah: quem odeia fios e a conta de energia elétrica também vai adorar o Tesla quando descobrir que ele inventou solução para os dois problemas. Mas há apenas protótipos no mundo já que o sistema não geraria lucro para ninguém.

– Há um tour bastante popular entre túneis subterrâneos, mas não fizemos :(

UM CONTO DA FRONTEIRA

Cruzar da Sérvia para a Bósnia foi, no mínimo, desagradável. Depois de muito atraso, entramos na van para uma viagem tranquila, apesar da chuva. Ao cruzar a fronteira por terra, o policial Sérvio recolheu todos os passaportes e voltou para perguntar por documentos de registro da estadia por mais de 24h na Sérvia. Absolutamente ninguém tinha. Para piorar, o policial que inspecionou nosso trem na entrada (fronteira da Hungria com a Sérvia) não carimbou a entrada em nossos passaportes. Fomos retirados da van para ‘conversar’ com o policial. Fez-se aquele silêncio imediatamente depois deles terem dito “e aí?” e de nós termos respondido levantando os ombros. Passava da meia noite.

Mandaram-nos de volta à van. “Cozinharam” os 12 passageiros por mais alguns minutos. O motorista falava com o policial e não conosco. E nenhuma palavra em inglês de nenhum lado. Por sorte, viajava conosco uma jornalista bósnia que falava inglês, entendeu a situação e a cobrança de 10 euros para que a van passasse sem mais percalços. Cada um tirou um euro do bolso e seguimos viagem para entrar na Bósnia e Herzegovina. A jornalista repreendeu estes dois brasileiros: “vocês tem que exigir que carimbem seus passaportes!” E nem nos ouviu dizer que isso simplesmente não é sempre possível. Afinal, vamos nós questionar a autoridade na fronteira sem falar uma palavra do idioma? O monte de passaportes ficou no poder do motorista, “afinal teriam que ser recolhidos daí a 5 minutos”, ele justificou. A polícia bósnia mal olhou os documentos e devolveu. Foram redistribuídos. Todos buscavam carimbos. Ninguém ganhou nenhum. Nem a tal jornalista.

Moral da história: entrei em contato com o Consulado do Brasil em Sarajevo, queria saber o que fazer. Tudo que não gostaria era de repetir a cena de suborno na fronteira seguinte. Explicaram que em nada poderiam ajudar para justificar a falta de carimbo no nosso passaporte. Seria uma intromissão na soberania alheia emitir uma carta em bósnio, por exemplo, comentando sobre as questões na fronteira. Contaram informalmente também que não há nada mais normal que passaportes não carimbados na região. Era o caso de torcer para não ter problemas, e seguir.

Foi dessa forma que, de acordo com os carimbos no passaporte, conseguimos o milagre de sair por terra da Hungria e entrar em Montenegro.

 

10 thoughts on “Se você for… a Belgrado, Sérvia!

    1. Oi Nilson! Que tipo de informação você gostaria? Voltei à Sérvia recentemente e conheci muitos restaurantes e bares que não tinha conhecido antes. O melhor é buscar na excelente comunidade do Couchsurfing de lá algum contato que te leve pela cidade de Belgrado e pelas outras pra apresentar a culinária e os costumes, além da rakja! Um grande abraço!

  1. Salve Enrico!
    Tô indo para os Balcãs em junho e o final de minha viagem será a Sérvia. Estou com dificuldades em achar transportes de Sarajevo para Belgrado… encontrei um ônibus muito cedo e uma “lotação”, se é que posso chamar assim. Minha intenção era viajar no final da tarde, até para não perder o dia dentro de um ônibus, já que são 7h de viagem. Tu recomenda alguma coisa?

    1. Oi Eduardo! Realmente o que tem de Sarajevo pra Belgrado é um ônibus da companhia Lasta às 6h que te deixa 13:10 em Belgrado ou esses transfers que te pegam no hostel e levam pra lá. Nós usamos o transfer no sentido inverso e achei o serviço ok, eles atrasaram, não avisaram, mas no fim deu tudo certo. O link pra vc checar com eles o horário é http://geatours.rs/eng/sarajevo.htm e o preço é de 20 euros de acordo com o site. Qual seu roteiro? Se quiser mais uma mãozinha, só falar! Abraço!

  2. Oi 🙋🏽
    Estou organizando minhas férias e estou com em dúvida se faço Belgrado / Zagreb ou Belgrado/Saravejo/Dubrovnik/Zagreb. Tenho 20 dias para distribuir no meu roteiro. Cheguei à conclusão de que 20 pdias na Croácia é muito, porque, estarei no final de março início de abril. A temporada de verão não começou e as atrações são limitadas, né? Pelo que li no seu blog Belgrado tem poucas atração. Será que um um dia e uma noite tá bom? Saravejo quanto dias?
    Obrigado
    Nairlê

    1. Oi Nairlê, tudo bem!?

      Eu te sugeriria deixar a Croácia pra outro momento, porque possivelmente as partes que você poderia aproveitar de festa, sol e praias não vai dar pra faze muito em Março/Abril. Zagreb poderia ser, é uma bela cidade, apesar de não ter muito pra fazer. Existe uma boa ligação entre Zagreb e Budapeste, que poderia ser incluída no seu roteiro e tem milhares de coisas pra fazer mesmo ainda com frio. Belgrado apesar de não ter tanta coisa, merece mais do que só um dia e uma noite. Fui novamente no inverno no ano passado e gostei bem mais que da primeira vez. Tem a fortaleza, vários restaurantes bons, parques, o lado antigo da cidade com linda arquitetura austro-húngara, etc. Sarajevo ficamos uma semana mas pra realmente visitar tudo precisa de no máximo 2 dias acho, só que a cidade é um charme e você certamente apreciaria ficar mais. Se não prender o seu roteiro com voos poderá fazer os trajetos na medida que achar que vale a pena mover-se avante. Na Bósnia tem também Mostar que é incrível e acho que você não deveria perder.
      Dá uma pesquisada nessas coisas e volta aqui que a gente ajuda a montar um roteirinho 😉
      Abraço, boas viagens e obrigado por acompanhar aqui!

  3. Olá!
    Estou fazendo o roteiro Croácia/Bósnia/Servia e fiquei com uma dúvida sobre o caso dos passaportes. Na Bósnia não foram carimbados e vcs não tiveram problemas? De lá foram pra Hungria?
    Abraços!

    1. Oi Marcelo!
      Não carimbaram mas deveriam ter feito. Não tivemos problemas na saída, fomos de ônibus de Mostar, na Bósnia, até Kotor, em Montenegro.

      Na dúvida sempre pergunte e peça para que carimbem seu passaporte.

      Um abraço e boas viagens!

  4. Oi Enrico.
    Obrigado pelas dicas. Fiz o roteiro pelos Balcãs é amei. Deu tudo certo. Acabei colocando a Croácia e foi boa decisão mesmo frio. Fiz Frankfurt /Belgrado/Lubliana/Zagreb/Lagos Plitvice/Zadar/Split/Saravejo/Dubrovnik/Mostar(bate-volta)/ Kotor(Montenegro . Acho que valeu muito ficar duas noites em Belgrado. Saravejo 03 ou 4 noites pq a cidade é muito legal. Fiz um bate-volta para Kotor mas ficaria uma semana em Montenegro. O país é belíssimo. O único roteiro de avião foi Belgrado/Lubliana. O resto fiz tudo de ônibus. O transporte rodoviário é muito bom e as estradas também . Não precisa comprar passagem com antecedências.

  5. Oi Enrico.
    Obrigado pelas dicas. Fiz o roteiro pelos Balcãs é amei. Deu tudo certo. Acabei colocando a Croácia e foi boa decisão mesmo frio. Fiz Frankfurt /Belgrado/Lubliana/Zagreb/Lagos Plitvice/Zadar/Split/Saravejo/Dubrovnik/Mostar(bate-volta)/ Kotor(Montenegro . Acho que valeu muito ficar duas noites em Belgrado. Saravejo 03 ou 4 noites pq a cidade é muito legal. Fiz um bate-volta para Kotor mas ficaria uma semana em Montenegro. O país é belíssimo. O único roteiro de avião foi Belgrado/Lubliana. O resto fiz tudo de ônibus. O transporte rodoviário é muito bom e as estradas também . Não precisa comprar passagem com antecedência.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *